segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

"AMOR"

"AMOR"

Meu amor sofro, por não te ver
Ter, abraçar e beijar
Que o nosso caminho seja brando
Que o sol brilhe na nossa casa
E no sorriso da nossa face
Que o vento sopre leve
Sempre nos nossos ombros
Que a poeira nos nossos olhos
Nunca sejam de dor
O orgulho no amor é fútil (...)
Um sentimento inútil e depressível .
 
Isabel Morais Ribeiro Fonseca

sábado, 28 de dezembro de 2013

"JARDIM DE FLORES"

 "JARDIM DE FLORES"

Plantamos as rosas no nosso jardim
Colhemos as frutas do nosso amor
Sentimos amor, sentimos paixão
Somos do mundo, somos de Deus

Somos de barro, ao barro voltamos
Sentimos a agua, saciamos a sede
Sentimos alma,sentimos compaixão
Colhemos as flores, regamos as plantas.

Sentimo-nos amados, amamos também
Plantamos as flores no nosso jardim
Colhemos amor, colhemos paixão
Tivemos os filhos que Deus nós deu.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

"LÁGRIMAS"



 "LÁGRIMAS"

Uma lágrima com o aroma de um orvalho
Houve um poema escrito
Que era perfeito em cada palavra

Escrita de tinta às cores como pétalas
Das flores da memória de um coral
Onde o rio entrega-se ao mar



Repousa o tempo das horas tristes e alegres
Noite nostálgica onde a lua encobre a agonia
No extravaso dos sentimentos da emoção

Onde os meus poemas encobrem o dia
Sente-se um perfume a jasmim do jardim encantado
De uma lágrima caída na madrugada orvalhada.

  Isabel Morais Ribeiro Fonseca

sábado, 21 de dezembro de 2013

"SOLIDÃO"

"SOLIDÃO"

Embora a solidão
Que invade, a minha alma
O desejo, que me queima a carne do corpo
A saudade de amor
Que grita aguda como um punhal
Rompe a minha carne quente.

 

Sente-se a dor quase mortal
Do teu último desejo
Que é a de uma noite
Que adormeceremos de cansaço
De agonia e de lembranças..
Guardarmo-nos no peito um desejo de um último beijo.

MariaIsabelMoraisRF



quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

BRUMAS DA SAUDADE


Entre as brumas da saudade
De quem faz suspirar um soneto

Onde descansa a rosa do meu coração
Da minha prece feita em oração.

MariaIsabelMoraisRF

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

"ALMA MINHA"

 "ALMA MINHA"

A minha alma é um silencio
De cinzas, de mágoas deitadas ao vento
Não sinto, não vejo, nem escuto.
O meu coração que bate baixinho
Já não sou mais quem eu era..e talvez nunca venha a ser.
Cansada da longa caminhada, mesmo com fé



Mergulhei na noite escura, sozinha, escondida
De mim mesmo à beira de um precipício
De onde a mão de um anjo socorreu-me

Andei perdida, esquecida de mim mesma
Sem pressa de encontrar o caminho
Ouvi uma voz e continuei sempre em frente.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca 


domingo, 15 de dezembro de 2013

"TERÇO NA MÃO"


 "TERÇO NA MÃO"

Rezo o meu rosário.
Sopra o vento e eu não oiço.
A chuva cai nos canteiros.
O aroma a terra molhada.
A fragrância perfumada da natureza
Peço a Deus entre as contas do rosário
Senhor, a tristeza deixou um rastro no meu coração
A minha alma tem um ninho de dor e solidão
Rezo o rosário e adormeço com ele na mão.!

  
Isabel Morais Ribeiro Fonseca

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

GOTAS DA CHUVA



Quando as gotas da chuva
  - Caem do meu rosto
São as lágrimas
  - Que caem cheias de desgosto
Causadas pela dor
 - Provocadas por um amor
Uma dor tão forte que parece
  - Que me vai levar à morte.

MariaIsabelMoraisRF