quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

"LÁGRIMAS"



 "LÁGRIMAS"

Uma lágrima com o aroma de um orvalho
Houve um poema escrito
Que era perfeito em cada palavra

Escrita de tinta às cores como pétalas
Das flores da memória de um coral
Onde o rio entrega-se ao mar



Repousa o tempo das horas tristes e alegres
Noite nostálgica onde a lua encobre a agonia
No extravaso dos sentimentos da emoção

Onde os meus poemas encobrem o dia
Sente-se um perfume a jasmim do jardim encantado
De uma lágrima caída na madrugada orvalhada.

  Isabel Morais Ribeiro Fonseca