sexta-feira, 29 de setembro de 2017

🦋 • .`⁀,) * ¸. • ❤ * 🌹 A DOR 🌹 QUANDO 🦋 • .`⁀,) * ¸. • ❤ * 🌹

🦋 • .`⁀,) * ¸. • ❤ * 🌹🍃



“A dor apodreceu-me nas veias
No sangue que calou a minha voz
Ficou a angústia das palavras mudas
Punhais que no meu corpo ficaram
Rasgando todas as minhas ilusões
Na alma dos sonhos já mortos.”

🦋 • .`⁀,) * ¸. • ❤ * 🌹🍃

🌹
Isabel Morais Ribeiro Fonseca





Quando eu morrer
Não chorem
Ponham antes
As mais belas flores
Que tiverem
Então serei poesia

Escrita num belo livro.” 

🦋 • .`⁀,) * ¸. • ❤ * 🌹🍃


🌹


Isabel Morais Ribeiro Fonseca


🦋 • .`⁀,) * ¸. • ❤ * 🌹🍃

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

💝 🌹💕 DESPI-ME DE MIM 🌺❤ * 🌹🍃 ..• 🍃🌹❤



💝 🌹





💝 🌹

💟💞 👠 💕 💟💞


DESPI-ME DE MIM OU DE TUDO 💝 🌹

Despi-me do meu orgulho, para ficar contigo
Despi-me dos sentimentos, para serem os teus
Despi-me do preconceito, pelo teu amor
Despi-me da tristeza, para ser a tua alegria
Despi-me do meu corpo, para ter o teu
Despi-me de viver, para viver contigo
Despi-me do meu sorriso, para ser o teu
Despi-me da minha pele, para ficar na tua
Despi-me das fraquezas, pela tua modéstia
Despi-me das loucuras, para não te perder
Despi-me dos sonhos, para os realizar contigo
Despi-me da mentira, para conhecer-te na verdade
Despi-me do meu egoísmo, para ser a tua liberdade
Despi-me da minha arrogância, pela tua simplicidade
Despi-me de mim própria, para sermos um só
Despi-me de tudo, só para te fazer muito feliz.

(...) Meu amor

Isabel Morais Ribeiro Fonseca





💟💞 👠 💕 💟💞 💟💞 👠 💕 💟💞


💝 🌹


segunda-feira, 18 de setembro de 2017

O Tempo Volta p´ra Trás Instrumental (...) Trás-os-Montes. (...)💕



ESTE

💕



Trás-os-Montes, terra fria
Quente como as castanhas
Das azedas que deixam saudade
Com os mantos feitos de lã
Vê-se um mar de fragas
Num oceano megalítico
Onde ninguém fica
Indiferente certamente
Ama-se, chora-se, ri-se
Vence-se a dor, o luto
De sentimentos singelos
Na saudade da branca neve
Paisagem do lar que se deixa
Para trás dos segredos da natureza
Terra maravilhosa de um mar de pedras
Entre a solidão singela, reza-se o terço, as alminhas
Sagrada com mil certezas, sepultado
No saborear no pão nosso de cada dia
Este maravilho nevoeiro que ao longe
Se vê entre as giestas, fumeiro
Que mata a fome a quem trabalha a terra
Deste maravilhoso reino que é Trás-os-Montes.




Isabel Morais Ribeiro Fonseca


💕