quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

PRECE

PRECE

Sonhar com um beijo
Desejado num suspiro
Enlouquecer em cada
Instante num arrepio
Amar num doce sorriso
Impossível de se roubar
Não destruam os silêncios
Ou ainda as preces de amor

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

ASAS DE ANJO

ASAS DE ANJO

A escuridão não o deixa sobreviver nesta noite
Ele quer muito viver, quer ficar para ver a luz
Dói quer olhar, mas cego já se encontra o pobre
A ferida no seu corpo é causada pelo brilho da luz

Dilacera a vaidade inútil, num corpo já esquecido
Já gasto, perdido onde refina a sua própria cor
Com o sol a bater no rosto pretende esconder-se
É na escuridão interior, sente clamor pelo coração

Sente a sua santidade vandalizada num altar oculto
De todas as coisas belas que viveu e já não pode ver
Abriga a dor nos seus braços, nunca recusou nada
Sofre de injúrias, de tormentos sem arrependimentos


No corpo sente o fôlego do cruel do insano futuro
Temido por todos na sua existência, sob as suas asas
A escuridão quer mantelo protegido da luz que é o seu 
Castigo, pobre anjo até da pena de todos os tormentos

Que passa no corpo, na alma só pede a Deus que o tire
Da escuridão em se encontra, abriga a sua dor no terço
Tentativa de não voltar a cair na vaidade das suas asas
Tenta seguir em frente, flagelado nas cicatrizes deixadas.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca



terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

TEIA DO DESTINO


TEIA DO DESTINO

Já enfrentei o meu sol talvez divino
Olhar sagrado onde o corpo arde
Despida com o tempo que cansa
O sino que vem desta pobre alma

Onde o vento leva no ar as cortinas
Rasga as paredes como teia do destino
Por temor impede que brote o sangue
Envolto nas chamas de um belo sonho

Perdi o rastro de alguém que cortasse
Desatasse o orgulho de um ser covarde
Com muita sutileza desarma o coração
Dessa nudez que o cego não vê e teme

Sobre uma estante de medos de sangue
Que se revela ao toque do sino da igreja
Pecado de um passado aparece mais forte
Invencível teia em qualquer época do ano.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

 

Abrir pagina no facebook

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

FRASES-VARIAS


 Amo-te
No prazer de ver-te sorrir
Na simplicidade de ter-te.

--------✿•*•*✿ -----
Isabel Morais Ribeiro Fonseca

 


 É preciso ter graça para nos fazer cair mais alto.
--------✿•*•*✿ -----
Isabel Morais Ribeiro Fonseca





A dor do meu peito comeu todos os livros de amor.

 -----✿•*•*✿ -----
Isabel Morais Ribeiro Fonseca


Atrás da porta pode estar o amor
Mas se nunca a abrir nunca poderá ver a alegria
Do seu coração - "Atreva-se"
   
-----✿•*•*✿ -----
Isabel Morais Ribeiro Fonseca