sexta-feira, 17 de abril de 2015

"VERMELHO"

"VERMELHO"

Vermelho é o meu desespero, coberto de nada
O vermelho é meu desencantado, vestida de noite
Fecho a janela, abraço-te no meu leito.
Amo-te com toda a paixão do meu coração
Beijo-te no vermelho dos teus lábios
No vermelho corre forte nas minhas mãos

Os teus abraços são mais fortes que os meus
Doce era o vermelho que amei no teu corpo
Suave quando o meu corpo começou a entardecer
Desmaiei com os teus olhos, nos meus
Quando os teus devolveram-me um vermelho de fogo
De vermelho me visto nesta via sacra entre o ser e o nada
Entre o viver e o não viver, o vermelho é e será
A marca de amor que ficara para sempre, em ti, em nos.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca