quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

"VENENO"

 "VENENO"

Cama velha partida, coberta de argila.
Barro esquecido, da alma perdida.

Coração entregue na fogueira da vaidade.
Corpo despedaçado, rasgado de dor.

Mente acordada no silêncio da noite.
Ossos partidos com o machado do sofrimento.

Veias de sangue cheias de veneno fatal.
Feridas expostas onde só vê quem quer ver.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca